A linha de secadoras Latina SR500 é prática e multifuncional.

Share Button


A linha de secadoras Latina SR500 é prática e multifuncional.

Além possuir todos os benefícios que só as secadoras de parede podem proporcionar, podem se tornar aquecedores de ambientes.

Elas são práticas e podem ser retiradas da parede facilmente para aquecer a sua casa. Nos dias mais úmidos e frios, esse produto é ideal. Por ser 2 em 1, você seca suas roupas de forma prática e rápida e ainda esquenta a sua casa.

A secadora de roupas SR575 é mais completa do mercado!

Possui super capacidade que permite secar até 10kg de roupa úmida, com 10 cabides exclusivos Latina e 12 combinações de uso através do botão de escolha de potência!

Economize energia escolhendo a potência que mais se adequa ao tipo de roupa que vai secar: 500W, 1.000W ou 1.500W! Seu design permite que também seja utilizada como aquecedor de ambientes para deixar sua casa aconchegante em dias mais frios.

Compre agora

Secadora de Roupas Latina SR555 possui câmara de secagem inovadora e o design mais contemporâneo da categoria, a secadora de roupas SR555 da Latina permite secar até 10kg de roupa em 4 combinações de programas de secagem exclusivos e ciclo amaciante com 1.500 watts de potência. Além disso, possui a maior câmara da categoria, confeccionada em nylon resistente que pode ser removido e lavado na máquina. Seu design exclusivo e premiado possibilita a utilização no modo aquecedor de ambientes, com função sleep e timer inteligente. A SR555 é retrátil, cabe em qualquer cantinho, é muito eficiente e silenciosa e acompanha 4 cabides exclusivos e removíveis que facilitam na hora de passar a roupa.

Compre agora

Aproveite e veja também as 10 dicas de como usar a secadora de roupas!

Saiba o que analisar antes de comprar um ventilador de teto

Share Button

Você sabe o que analisar antes de comprar um ventilador de teto?vt653_branco

Para responder a essa pergunta é preciso levar em consideração as principais características que possuem os equipamentos de ventilação:

Vazão de ar: é a medida da quantidade de ar (calculada em m³/s) que o aparelho é capaz de jogar no ambiente a cada segundo. Assim, quanto maior esse valor, maior a capacidade de ventilação.

Eficiência Energética: A eficiência energética é calculada dividindo-se a capacidade de ventilação (m³/s) pela potência absorvida (W). Isso mostra o quanto de vento o equipamento é capaz de jogar no ambiente por cada watt de potência absorvido.
Em via de regra, quanto mais potência (W), mais forte será o motor, o que faz a hélice girar mais rapidamente.

Os ventiladores de teto VT653 com 3 pás da Latina proporcionam muito mais vento com menos ruído e com muita economia de energia, pois sua aerodinâmica foi desenvolvida em parceria com a USP e seu design permite utilização de 2 lâmpadas econômicas ou incandescentes, base E27 de até 60w cada.

Possuem máxima eficiência energética nas três velocidades, com selo triplo “A” do Procel, certificado pelo Inmetro.

Seu controle de parede possui design exclusivo e é muito fácil de usar. Este ventilador conta ainda com reversão inteligente e controle da intensidade da luz (dimmer).

Veja abaixo os principais diferenciais e características do ventilador VT653:

Muito mais vento, com menos barulho;
• Aerodinâmica desenvolvida em parceria com a USP;
• Máxima eficiência energética em todas as velocidades, com selo triplo A em consumo de energia certificado pelo Inmetro;
• Controle de parede com design exclusivo e fácil de usar;
• Controle da intensidade de iluminação (dimmer) e controle eletrônico de velocidade de ventilação, com reversão;
• Linha com design premiado;
• A lâmpada deve permitir dimmerização.
• 1,2 m de diâmetro e 36m² de ventilação;

Porque escolher os ventiladores de teto Latina VT653?

INOVAÇÃO: Aerodinâmica desenvolvida em parceria com a USP
com design premiado.
ECONOMIA: Possui selo triplo “A”, eficiência em consumo de energia
certificada pelo INMETRO.
CONTROLE  DE  PAREDE: Ventilação e exaustão com controle de
velocidade contínuo.
COMPACTO: 1,2 metro de diâmetro e 36 m² de área de ventilação.
LUZ: Duas lâmpadas convencionais ou econômicas, base E27 de até
60W cada.
DIMMER: Possui  controle para intensidade da iluminação. Para
variar a intensidade certifique-se de usar lâmpadas dimerizáveis.
SILÊNCIO: Baixíssimo índice de ruído.

Gostou!? Então, corra e aproveite os descontos em toda a linha VT653 no Clube do Lar

 

Equipe sua cozinha com produtos multimarcas Clube do Lar.

Share Button

1

Se você está montando sua cozinha ou deseja renovar seus eletrodomésticos e utensílios, o Clube do Lar preparou ofertas imperdíveis para facilitar suas compras.

Separamos produtos multimarcas com preços acessíveis que irão dar um “up” na sua cozinha e levar até você um toque de modernidade e bom gosto, além de agilizar os afazeres do seu dia a dia.

Veja as dicas que separamos para você equipar sua cozinha gastando pouco, com produtos de qualidade que dinamizam seu tempo, além de deixar sua cozinha preparada para receber amigos e familiares nas reuniões do final de semana. Quer fazer bonito nessa hora e proporcionar momentos agradáveis para todos? Então, não perca tempo e aproveite os produtos que separamos para você.

Nada melhor do que uma ajudinha logo de manhã para preparar um delicioso café, veja nossas ofertas:

Dicas para equipar sua cozinha para o almoço gastando pouco:

Para um jantar agradável e receber os amigos:

Confira essas ofertas e muitas outras no Clube do Lar.

Dica do Lar: Café espresso ou coado?

Share Button

Imagem-blog

Já não é novidade para ninguém que nós, brasileiros, somos verdadeiros amantes do café, concordam? Essa bebida tão popular e familiar em nossas refeições se encaixa perfeitamente nos melhores momentos: acompanha um bolo quente como ninguém; é a melhor companhia para ler um livro; é o companheiro de todas as reuniões de negócios etc. Ele já caiu no nosso gosto há muito tempo, sem dúvidas. E pensando bem, o café já nos é tão insubstituível que cada vez mais aparecem os jeitos mais curiosos de se preparar e consumir essa delícia. Mas vamos aos jeitinhos mais comuns que a gente conhece de se preparar um delicioso café: o velho conhecido de todos, café coado, e o todo moderninho, café expresso. Qual o seu preferido?

O café coado é preparado com água quente entre 90 e 95ºC, em filtro de pano ou papel. A bebida fica menos densa que o café expresso e com aroma e sabores mais suaves e agradáveis ao paladar. Para se preparar o tradicional café coado, podem ser usadas cafeteiras também. Elas tornam o preparo mais simples, trabalhando apenas para aquecer a água e levá-la até o filtro de papel. Para o preparo do café coado, é recomendado de 5 à 6 colheres de sopa de café moído para 1 litro de água.

Já o café expresso é preparado em cafeteiras específicas para este fim. A bebida é resultado de um jato de água quente, lançado com alta pressão, sobre o pó de café finamente moído. A quantidade de pó dissolvida é maior por volume de água, se comparada à quantidade usada no café coado. O café expresso é mais concentrado, grosso, escuro e de sabor mais forte, com uma maior concentração de cafeína. Por causa desse forte sabor, este café é comumente usado para o preparo de outras bebidas à base de café, como o cappuccino, por exemplo.

As cafeteiras para café expresso foram criadas na Itália no começo do século XX. Lá, se diz “caffè espresso”, que significa café retirado sob pressão. Já no Brasil, é usado o termo café expresso no sentido de “rapidez”.

E aí, agora que aprendemos mais um pouquinho sobre essa deliciosa bebida, você já pode dizer qual o seu preferido?

Fonte: Kersaber

Banner-inferior

Conheça os cortes de carne bovina ideais para suas receitas

Share Button

3

Na hora de cozinhar, é normal surgir aquela dúvida na hora de escolher a carne. Qual o melhor corte? Qual carne usar para o churrasco, o ensopado. A carne é de primeira ou de segunda?

Então o Clube do Lar decidiu te ajudar com isso. Separamos uma lista que vai responder essas dúvidas para você. Se quiser, pode imprimir a lista e deixa-la em um lugar visível na cozinha, e assim, facilitando sua vida.


1 – Peito: Corte de segunda (pode vir com osso ou sem osso). Boa para caldos, cozidos e ensopados.

2 – Pescoço: Corte de terceira. Boa para sopas e cozidos.

3 – Cupim: Corte de segunda. Boa para churrascos. Pode ser o vilão de uma dieta, já que é um dos cortes mais gordurosos do boi.

4 – Acém: Corte de segunda. Boa para bifes de panela, ensopados e assados. Junto com o patinho, é considerado o melhor corte para carne moída.

5 – Braço (ou paleta): Corte de segunda. Boa para cozidos, caldos, ensopados e molhos. Por ser bastante saboroso, é um corte escolhido também para rechear.

6 – Músculo: Corte de segunda e de terceira. Boa para ensopados, cozidos, caldos e molhos. O ossobuco é músculo ainda com osso, ainda com o tutano. Depois de cozido, fica uma delícia com pão, por exemplo.

7 – Capa de filé: Corte de segunda. Boa para assados e refogados.

8 – Aba de filé: Corte de segunda. Bom para hambúrgueres e croquetes.

9 – Ponta de agulha: Corte de terceira. Boa para caldos, ensopados e refogados.

10 – Filé de costela: Corte de segunda. Boa para fazer ensopados e refogados.

11 – Contrafilé (ou filé de lombo): Corte de primeira. Boa para grelhados, assados, churrascos e rosbifes. Seu grande segredo é não deixar passar do tempo ideal para não endurecer, com exceção à carnes maturadas, que são muito mais macias. Busque sempre as peças com capa de gordura, que ficam mais macias e saborosas durante o preparo.

12 – Filé mignon: Corte de primeira. Boa para bifes, assados, grelhados, strogonoff e rosbifes. É o corte mais nobre, por ser o mais macio. Para fazer um bom filé mignon não se esqueça da regra básica sobre as carnes: o mais importante é a gordura, responsável pelo sabor. Como o mignon não a tem, é importante untá-lo um pouco.

13 – Picanha: Corte de primeira. Boa para o preparo de assados, cozidos e churrascos. Aliás, é a estrela dos churrascos! Mas isso no Brasil, onde é considerada de primeira. Na Europa, é muito usada para carne de panela. As principais características da peça são o formato triangular, com uma camada de gordura, que é responsável pelo seu sabor, suculência e maciez. A gordura da picanha só pode ser retirada após ter sido assada, caso contrário as fibras de sua carne ficarão enrijecidas e sem gosto. É preciso lembrar que vendem peças picanhas com quase 3 kg de peso. Isso é simplesmente impossível. Um boi confinado, com o devido padrão genético e todas as vantagens tecnológicas, gera a produção de uma picanha de cerca de 1,5 kg no máximo.

14 – Alcatra: Corte de primeira. Boa para assados, grelhados, bifes, refogados e picadinhos. É formada por um conjunto de 5 cortes diferentes de carnes. A picanha faz parte deste conjunto. Em seguida, temos o miolo da alcatra, que seria a ‘própria’, usada nos churrascos tradicionais e justamente do miolo é que se tira o Baby-Beef, uma tira de carne do tamanho de um pequeno bife muito macio e apreciado por todos. Tem ainda mais dois cortes: o Tender Steak e o Top Sirloin, que possuem entre eles um nervo que se aloja dentro do miolo da alcatra. Não é comum assá-los sem estes cortes que retiram o nervo central, evitando que ele enrijeça ou deforme a carne. Assim como a picanha, a alcatra também possui muitas variações em seus cortes, podendo ser bem utilizada também em picadinhos, bifes e assados.

15 – Maminha: Corte de primeira. Boa para grelhados, assados, churrasco e bifes. É a ponta do conjunto de carnes que formam a alcatra. A maminha tem um formato quase triangular e pesa aproximadamente cerca de 2 kg. É muito apreciada em rodízios. A maminha é uma carne com boa espessura, textura e sabor que podem ser melhor aproveitados no espeto, fatiando pouco a pouco, como o cupim. Inicia-se com o sal grosso, depois cobre-se as partes fatiadas com sal fino e volta ao fogo. Outra variação pra churrasco é cobrir as partes fatiadas com um creme de alho. Dá um aroma e sabor inigualáveis.

16 – Fraldinha: Corte de segunda. Boa para assados, ensopados, churrasco, moídos e caldos.

17 – Patinho: Corte de primeira. Boa para assados, cozidos, bifes, moídos e molhos. É ideal para bife à milanesa e para carne de panela.

18 – Coxão duro (ou ponta de alcatra): Corte de primeira. Boa para cozidos, assados, ensopados, moídos e caldos.  É a favorita na preparação  de papinhas  infantis.

19 – Coxão mole: Corte de primeira. Boa para assados, refogados, ensopados e picadinhos. Dá bifes bem suculentos. Ótima também quando grelhada. Neste caso, pode ser também bem condimentada  antes de ser colocada na grelha. Usada em refogados, sopas, bifes rolê, bifes à milanesa, bolos de carne, carne moída, etc.

13 – Lagarto: Corte de primeira. Boa para o preparo de assados, rosbifes, cozidos e ensopados. É uma carne um pouco mais dura e precisa de mais tempo que as demais, no forno, para ficar macia. É uma das carnes favoritas para ser recheada (com bacon, cenoura, cebola já fica uma delícia!), e também a escolhida para, após cozida e bem resfriada, ser fatiada bem fina para carnes escabeche (carne louca). Em bifes, só se for protegida por um massinha para empanar.

21 – Rabo: Não tem classificação de corte. Boa para cozidos, ensopados e refogados.

Agora com essas dicas, fica mais fácil escolher a carne na hora de preparar sua refeição.

Dica do Lar: Animais de estimação fazem bem à saúde

Share Button

Imagem-blog

Você tem um animalzinho de estimação em casa? Gato, cachorro, pássaro, tartaruga? Todos eles são uma fofura, vamos combinar. Mas, o que você pode não ter conhecimento é de que a companhia desses animais traz diversos benefícios à saúde, e isso já é comprovado cientificamente. 

A Associação Americana do Coração afirma que ter um animal reduz o risco de doenças cardíacas. Testes mostraram que uma pessoa que sai para passear com seu cachorro, por exemplo, cumpre 54% dos níveis recomendados de exercícios diários, favorecendo o funcionamento do sistema cardiovascular. Especialistas recomendam que as pessoas caminhem com seus animais no mínimo de 150 minutos por semana. A atividade permite também maior disposição no seu dia a dia. Outros estudos esclarecem que acariciar um animal reduz os níveis de estresse. Isso porque, ao passar a mão no animal, nosso organismo libera oxitocina, um hormônio relacionado ao vínculo emocional. Esse processo gera uma sensação de calma e bem-estar.

Enquetes revelaram que quem convive com um animal tem mais disposição, e 82% das pessoas entrevistadas declararam que seu cão ou gato as faz sentir melhor quando estão tristes. Quando brincamos com os animais, os níveis de serotonina e dopamina aumentam, enquanto os de cortisol diminuem, segundo um estudo publicado no British Medical Journal. No caso das crianças, os resultados também são muito interessantes. Os pequenos que convivem com os animais têm menos chance de desenvolver alergias e/ou asma, já que possuem um sistema imunológico mais forte.

De acordo com outros estudos, animais podem ensinar e orientar as crianças que sofrem de transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH), ao criar uma rotina de atividades diárias. No  geral, a ciência comprova que as pessoas que têm bichos vivem uma vida mais saudável, longa e feliz.

Fonte: Animal Planet

 Banner-inferior

Dica do Lar: Escolha o vinho ideal para este inverno

Share Button

Padrão-miniatura

Quem aí acha que no frio é o momento ótimo para degustar um bom vinho? Combinação perfeita, não é mesmo?! Mas, será que todos os tipos de vinhos são o par perfeito para o inverno? Na verdade não, e é isso que vamos descobrir juntos. Qual o tipo de vinho ideal para esta época do ano?

Para o inverno, o ideal é optar pelos vinhos tintos. Os encorpados são ainda mais indicados, se sua intenção for se sentir o mais aquecido possível. Segundo Manoel Beato, sommelier do Grupo Fasano e autor do Guia de Vinhos Larousse, “além de mais encorpados, eles devem ser calorosos, tanto em termos de calorias quanto da sensação de calor que provocam na boca. Uma variação sutil no teor alcoólico faz a diferença”. Beato ainda complementa que “os tintos costumam ter 13% de álcool, então um com 15 % já confere uma sensação mais quente”.

Os tintos são os mais indicados para o clima frio, porque vão bem com carnes, massas, fondues, sopas, queijos, assados, risotos, pizza (pratos muito consumidos no inverno). Os vinhos jovens e encorpados, com 5 anos, podem ser servidos em um decanter. Já os vinhos mais velhos, com mais de 10 anos, devem ser servidos na própria garrafa, para que não se percam as principais características de aroma e sabor quando em contato com o ar. As taças ideais para degustar o vinho são as grandes, pois isso ajuda a conservar as características de aroma do vinho.

Para conservar os vinhos em condições ideais, a dica é mantê-los em uma adega própria, climatizada entre 12º C e 17º C. No caso dos tintos, essa temperatura pode variar de 16º C a 21º C.


Banner-inferior

Dica do Lar: Como cuidar do cabelo no inverno

Share Button

Imagem-blog

O inverno chegou, e trouxe consigo aquele friozinho típico. Até aí tudo bem, mas o problema é quando a gente pára pra pensar nos cuidados com a beleza que devemos ter no inverno. E com os cabelos? Poxa, mais complicado ainda! É por isso que vamos compartilhar com você, amiga, algumas dicas que aprendemos.

Escolha sempre shampoos e condicionadores próprios para o tipo do seu cabelo. O mais importante é hidratá-lo com produtos específicos (aquelas máscaras de hidratação, sabe?!) semanalmente. No inverno, a gente fica doidinha pra tomar aquele banho quentíssimo, não é?! Pois então, a água quente é um dos piores inimigos do cabelo. Ela desidrata os fios, aumenta a queda de cabelos e provoca descamação do couro cabeludo. O ideal é evitar ao máximo água muito quente e lavar o cabelo com água morna. Os fios, no inverno, acabam ficando mais oleosos, é natural. Para isso, você pode optar por usar cremes sem enxague para ajudar a pentear o cabelo. Use o secador da maneira correta, aplique sempre um protetor térmico ou reparador de pontas antes de usá-lo. Não durma com os cabelos molhados e evite usar bonés, boinas e chapéus, eles deixam os fios ainda mais oleosos. Sempre que lavar seu cabelo, massageie-o, isso ajuda a ativar a circulação e a oxigenação, acelerando o crescimento dos fios.

E aí, já tá preparadíssima para os cuidados com as madeixas no inverno? Apostamos

Fonte: Dicas de Mulher

Banner-inferior

5 dicas para organizar uma cozinha pequena

Share Button

Imagem-blog

Confira 5 dicas incríveis para organizar sua cozinha pequena.

Aposte em cozinhas americanas

1

Muitos apartamentos já vem com cozinhas integradas com a sala de estar. Este estilo de cozinha proporciona um ambiente mais amplo, uma vez que abre mão de uma ou duas paredes.

Aproveitando que a cozinha é integrada à sala, a dica é usar artigos de decoração que combinem os espaços. Gabinetes e prateleiras suspensos, na divisa entre os ambientes quebram a continuidade sem abrir mão da profundidade conquistada com a retirada da parede. Vasos com plantas são excelentes opções para enfeitar o balcão ou prateleiras da divisa!

Outra dica incrível, é escolher móveis ou prateleiras para dividir os espaço, sendo eles de “duas faces”, para que possam ser utilizados tanto na sala quanto na cozinha.

Bancadas móveis

2

Bancadas móveis é um truque ótimo para uma cozinha pequena. Você pode utilizar para a área de refeições e também como área de trabalho. Essas bancadas são difíceis de encontrar, mas que vai ser uma mão na roda, ah, isso vai.

Vertical

3

Aposte em uma vozinha vertical. Utilize prateleiras e organizadores suspensos, para dispor potes com alimentos e temperos que você utiliza no dia a dia. Até as louças podem ficar nelas.

Organizadores suspensos muitas vezes são mais baratos que prateleiras e funcionam muito bem, aproveitando áreas maiores na altura sem abusar da profundidade.

Quer outra dica? Aproveite potes e recipientes grandes e organize os talheres. Além de prático, vira um ótimo artigo de decoração, dando um ar mais intimista e familiar ao ambiente. Você pode explorar essa ideia de verticalização da cozinha de várias maneiras: prateleiras de correr em armários, organizadores suspensos nas portas dos armários, etc.

Despensa

4

Organizar a despensa de modo que facilite sua rotina de consumo e qual será sua rotina de reposição do “estoque”.

Com o tempo você percebe que fazer pequenas compras em intervalos de tempo mais cursos é uma opção mais prática, assim você ocupa espaço e não fica preocupado em onde guardar tudo.

Utilizar caixas e cestas para delimitar os espaços, organizar em categorias, como grãos, condimentos, massas, derivados de leite e tudo mais podefacilitar na hora de identificar os mantimentos que estão faltando.

Quadro de recados

Compre ou use a criatividade e faça um quadro de recados. Com lousas ou blocos de notas. Isso vai facilitar seu planejamento semanal, como cardápio e organizações.

Você também pode usar o quadro para anotar os itens que vão acabando e assim fazer uma lista de compras dinâmica. Mas lembre-se de deixar em um local visível para sempre ser notado. Ó, na hora de sair pro mercado, tire uma foto do quadro, assim você economiza papel e carrega a lista de um jeito mais prático.

Dica do Lar: 10 dicas de decoração para Festa Junina

Share Button

Imagem-blog

Ainda em clima de arraiá, vamos dar algumas dicas de decorações para sua Festa Junina

Sem título

Chapéus de brindes para todos que dançaram a quadrilha

Lembrancinha-festa-junina 1

Olha que legal esses potinhos para colocar doce de leite

ff0e1213de735a203b194a10d5eb28d6

Hm… Essa canela dá um toque super charmoso

festa-junina-

Olha que legal essa mesa. Só arrumar as comidas na mesa e ela já fica atraente

decoração-de-festa-junina+25

Árvores de pipoca <3

decoração-de-festa-junina 31

Mini-chapéus e panos xadrez são itens indispensáveis em uma festa junina

decoração-de-festa-junina 28

Mini-chapéus de palha para a tampinha das garrafinhas de confete

decoração-de-festa-junina 19

E também para a água =D

decoração-de-festa-junina 17

Dá para fazer bandeirinhas e usar o milho como fogueirinha =3

decora_o_de_festa_junina_29

Mais bandeirinha, mas dessa vez na colher do brigadeiro